Precisa-se de um psicolinguista

Pra me estudar. Eu li a minha “vista pedagogica” no site do INEP e imediatamente começou a tocar na minha cabeça a seguinte musiquinha:

Mãe-iê sabe o que me aconteceu?
Mãe-iê o Tonico me bateu
(Ma ma ma ma ma ma ma mãe-iê sabe o que me aconteceu?
Mãe-iê o Tonico me bateu)

Roubou meu saco de pipoca
Meu pirulito e picolé
E ainda por cima mamãezinha
Deu uma pisada no meu pé

Eu tirei 160 na competência “domínio da norma” (tô até com gastrite). Já reli a redação procurando onde foi a barbeiragem. Tem uma chicane aqui, será que foi esse o meu pecado?

[…] formar profissionais capazes de ensinar as – e nas – duas línguas […]

Nota 120 em “proposta de intervenção”.  Nunca fui nota máxima, mas isso doeu.

Nota 160 na competência 3, selecionar informações de tudo quanto é canto na defesa da argumentação. Eu não tenho um livro de citações filosóficas e alusões históricas para decorar e usar em redações. O assunto era língua, lembrei do poema de Fernando Pessoa (minha pátria é minha língua…)

Competência 6, mecanismos linguísticos, nota 160. Uma corretora certa vez me disse que eu tenho repertório fraco. É mesmo. Não uso “portanto’, “em vista dos fatos supracitados”, “diante do exposto” “consoante” .. acho que “outrossim” devia ter sido aposentada depois da crônica do Veríssimo , tenho vontade de bater em que usa “hodiernamente” “debalde”, “destarte” e “dessarte”.

Competência 2. Compreender a proposta de redação e aplicar conceitos das várias áreas de conhecimento para desenvolver o tema, dentro dos limites estruturais do texto dissertativo-argumentativo.

Sua nota nessa competência foi:200

É, na competência que avalia se eu sei ler e escrever texto argumentativo sobre o que li, tirei nota máxima. Faltou só o 200 naquela outra que avalia se eu sei escrever certinho. Eu escrevo certinho 😦

Nota final: 800

Minha preocupação hodiernamente ( 😀 ) é : como vou ensinar aos meus alunos a escrever um modelo de texto que me dá gastrite?

Anúncios