Ouvindo podcast descobri o nome dá criatura que ensina os repórteres da Globo RJ a falar de maneira coloquial. 

A fala do repórter é controlada. Eles treinam para parecer que não é. Coisas como “A Ana tava pertinho do local do acidente”. Artigo definido obrigatório, verbo estar virou verbo tá. Mas o ritmo, a dicção e a entonação são controlados. 

É falso. E é um desserviço achar que o padrão formal não deve ser usado em uma situação de comunicação formal.

Anúncios

Um comentário sobre “

  1. Aqui em São Paulo, está a mesma coisa – até dói o ouvido!
    Sem falar que é estranho ver dois caras de terno e gravata, cabelos brancos, se cumprimentando como se fossem moleques…

Os comentários estão desativados.