De volta ao trabalho. Com passagem mais cara.

image

Amanhã eu volto ao trabalho.

Se eu for de expresso, fico 2 horas no ônibus. Tá calor e a minha linha não dispõe de carros com ar. É lei, mas a prefeitura já disse que não será cumprida. Se eu não beber água, vou passar mal. Se beber, vou ficar apertada em um nível perigoso.

Se eu for de parador e descer no meio do caminho pra fazer um pips, vou levar de 3 a 4 horas pra chegar no trabalho, tendo que armar uma operação pra achar um banheiro seguro e não perder a janela do bilhete único. Para isso, o primeiro carro tem que ser o 397 ou 396 parador. Coloca no tempo de viagem mais 40 minutos esperando a dádiva de ver o ônibus chegar e não ignorar meu sinal.

Se eu for de ônibus + trem + metrô, eu chego em menos de uma hora e vou andar no ar fresquinho (se / quando tudo der certo). Só que eu não ganho pra isso.

Eu preciso andar 50 minutos na ida e 50 na volta para usar apenas um modal, o trem.

Estou preocupada com a minha, hummm, produtividade…

Mas o que interessa é que tem olimpíadas! Quem é que é bom pra torcer? O vôlei? Vou torcer pelo vôlei. Olha, meninos e meninas do vôlei, vocês estão carregando nos ombros a responsabilidade de nos fazer felizes apesar de tudo. Ganhem essa p*, senão nós os odiaremos até o fim dos tempos. A culpa da degradação do Rio de Janeiro será de vocês.

Anúncios

2 comentários sobre “De volta ao trabalho. Com passagem mais cara.

Os comentários estão desativados.