http://www.avidaquer.com.br/trabalho-domestico-adolescente/

http://www.avidaquer.com.br/trabalho-domestico-adolescente/

Post da Samanta sobre trabalho infantil: filhos ajudando nas encomendas da mãe…

 

Tive lembranças doces agora! Eu ajudei mamãe a fazer muito docinho e muito enfeite de festa. Mas os doces e os enfeites eram um extra, encomendas esporádicas, o produto principal era o bolo. Mamãe nunca me colocou para ajudar no bolo. Já os docinhos, ela me pedia pra ajudar a enrolar, e quase sempre era o de amendoim, que eu odeio, logo, não comia. Quando eu enrolava brigadeiro, estava subentendido que eu iria roubar alguns. Criança que não rouba brigadeiro não é criança. Para os enfeites, eu me oferecia, eu é que criava. Aquilo, para mim, era uma brincadeira, uma diversão enorme. Mas como eu disse, não era parte do pacote que mamãe vendia, eram encomendas muito raras, normalmente para familiares mesmo.  Uma vez eu convenci um vizinho a me emprestar a guitarra para que eu pudesse fazer uma igual em isopor. Claro que essa situação não se compara com as meninas que são incentivadas a se dedicar a essas atividades, em que haja obrigação. Minha mãe é boleira e costureira, já passou por jornadas de trabalho extenuantes e nunca me pediu ajuda. Eu ficava no ateliê brincando com os trapos e a coisa mais bizarra, para os dias atuais, é que eu aprendi muito nova a manusear tesouras grandes, que eu usava para os panos e para os meus papéis Eu tinha desprezo pelas inúteis (e seguras) tesourinhas infantis…

Anúncios