V de Vingança – Leitura de agosto, desafio literário 2013

Num mundo pós terceira guerra mundial, a Inglaterra é um estado policial totalitário. Negros, judeus, homossexuais, estrangeiros e não-brancos em geral foram enviados para campos de concentração e de extermínio. O governo controla a mídia e monitora a intimidade do cidadão. Surge então V, terrorista que quer destruir o estilo de vida dessa sociedade.

Ficção científica? Está mais para distopia, e nem é preciso estender demais o nosso presente para enxergar o futuro de V de Vingança. Além disso, é uma introdução aos ideais anarquistas. É preciso destruir, limpar o terreno, para construir uma sociedade mais justa.

Textos anarquistas me perturbam muito. Não estou disposta a me colocar em perigo. Não acho legítimo posar de simpatizante, não do conforto do meu sofá. Não consigo dizer que ativistas são loucos, sonhadores, ingênuos ou apenas criminosos com um pretexto. Não, nem a violência me impede de enxergar aquilo que realmente se quer destruir. Então término a leitura me questionando “e agora, tu vai fazer o quê?”

Anúncios