Em Macaé, ‘50 tons’ na prateleira, só se tiver lacre

Em Macaé, ‘50 tons’ na prateleira, só se tiver lacre

Alguém avisa ao gerente da livraria que ele continua correndo risco de processo. Eu tenho 1,55m de altura, se quiser comprar a obra-prima “Algemas de Seda”, que agora está exposta lacrada na parte mais alta da estante, eu terei que me esticar, puxar com a pontinha dos dedos e me arriscar a derrubar todos os 50 tons na minha cabeça. Ou, pior ainda, chamar um funcionário e pedir que ele pegue pra mim. Ó o constrangimento. Danos morais neles.

No ano passado reli A Marca de Uma Lágrima, de Pedro Bandeira, e recomendei para minha filha de 12 anos. Durante a releitura, um trecho me chamou a atenção. Uma menina de 12 anos, que não tenha crescido em um ambiente de malícia, vai entender de um jeito. Uma mulher de mais de 30, lendo o livro pela 2ª vez, eu quase grampeei as páginas  ¬¬

Pedro Bandeira, aquele bigodudo dissimulado!

E Jogos Vorazes, que a Katiniss e os rapazes volta e meia aparecem peladões? E esse tá na prateleira de Infanto-juvenil!

-*-*-*-

Olhando o título e a capa, não dá pra afirmar que é livro de sem-vergonhice (pelo que li de comentários, nem mesmo lendo as primeiras 100 páginas, putz). A divulgação já foi feita, foi extremamente eficiente e tentativas de censura só colaboram para o sucesso. Aliás, foi por isso que não grampeei as páginas, pra não chamar atenção para aquilo que eu queria que passasse despercebido…

-*-*-*-

E agora, vão pedir identidade no caixa da livraria? Óbvio que meu bebê não passa (será que não?), mas uma amiguinha dela, que já tem aparência de 17, 18 anos? Imaginei agora a menina tentando passar com soft porn pra avó e Diário de um Banana pra ela mesma.

 

Anúncios