Aeeew, ano novo, layout novo!

Consolidei uma tendência que vem desde que me intoxiquei no twitter: a volta ao textão. Limpei tags, categorias, banners, selinhos, tudo. Aproveitei do twitter a ausência de título.

Lá na rede social do G+ o grupo de Língua Portuguesa caiu na armadilha da porradaria por causa do preconceito linguístico. Escrever na net, em diferentes plataformas, me fez consciente dos diferentes tipos de texto e suas normas particulares. Eu preciso das maiúsculas, da pontuação, mas posso dispensar o título e me valer de emoticons. E às múmias que disserem que está tudo errado, eu respondo da maneira educada que me comunico à mesa de jantar lá em casa: “errado tá a tua bunda”.

-*-*-*-*-

Ou, de acordo com o Bechara, se o texto tiver que ser entregue a um professor em sala de aula, “equivocadas estão as suas nádegas”.

-*-*-*-*-*-

E não é que uma tia enfiou um prego no pé no Natal? A gente foi com ela à UPA, mas lá não se aplica vacina. Não sei se ela foi ao postinho depois, mas se postinho fecha fim de semana, deve fechar feriado. Pro Albert Schweitzer ninguém foi, podiam cortar o pé dela. O pé sem prego.

-*-*-*-*-*-

E uma amiga me conta no dia de natal que está grávida! Foi e está sendo meu presentão \o/

Anúncios