A retrospectiva do Facebook sugeriu os meus 4 grandes momentos do ano: o cachorro andando de triciclo em Bangu, a viagem a Penedo, a máquina de lavar que saiu andando sozinha pelo apartamento e o dia das mães, o primeiro de mamãe saudável depois de quase morrer 3 vezes em menos de 2 anos (e a Williams ainda me vence a corrida naquele dia).

 Imagem

A minha foto do ano nem é essa. Eu estava no hospital, apontando o celular para qualquer lado, batia a foto e brincava com os filtros de imagem. De repente, aparece na tela minha filha, parando em frente a minha mãe. Era o reencontro depois de um mês. Enquanto minha mãe não trocasse a condição de internada em tratamento para paciente convalescente, a menina não podia visitá-la. Ao receber a notícia de que podia ver a vó, ela entendeu que o risco havia passado. E sem querer eu estava com a câmera apontada no exato momento do reencontro. A neta está parada, sorrindo. A avó estende as mãos com as palmas para o alto, na direção do rostinho dela.

Não preciso publicar, né? Só de descrever a cena já fiquei com os zoio molhado 🙂

Anúncios