Cada um com seus preconceitos

Eu tenho os meus. O principal problema aqui é eu estar incomodada com a vida alheia, mas de certa forma este é o ambiente onde eu crio a minha filha, ou seja, este é um dos meus maiores inimigos.

Eu me pegeui com fumaça saindo das orelhas ao ver o perfil do facebook de amiga de amiga da minha filha. Quinze anos, casada e postando foto de top, minissaia e barrigão de grávida à mostra, com a legenda “presente de Deus!”, no meio de outros posts repletos de breguice e erros ortográficos.

Nooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooooo

Aconteceu algumas vezes quando eu era adolescente (com as meninas ao meu redor!) e eu tinha um olhar bem mais compreensivo. Lembro de ter me revoltado com a escola que obrigou a menina grávida aos 14 anos a se transferir para o turno da noite, para sair de perto das “meninas direitas”. Agora que eu estou no papel de mãe, me pego usando esses casos como “caso de estudo”. Pelo menos o discurso da “vadia” não existe, eu prego responsabilidade, cuidado com a saúde emocional e o uso dos nossos amigos contraceptivos. 

É chato. Pra quem tem filha de 11 anos, ver essas coisas é muito chato. As meninas merecem muito mais. 

Enviado poremail

Anúncios

Um comentário sobre “Cada um com seus preconceitos

Os comentários estão desativados.