Como derrubar a muralha?

Post originalmente publicado no grupo do facebook refletindo sobre a educação, com 603 mmbros, respondido por outra mãe e uma professora. Uma professora pesquisadora em educação “curtiu” e o debate morreu 😦

 

Quando Filhote pede à professora de matemática pra tirar uma dúvida, escuta “não, isso aí não vai cair na prova de amanhã”.

Quando faz um trabalho além do que foi pedido, recebe como resposta um ¬¬

Ontem ela me disse que não gosta de Ciências. Cheguei do trabalho e fui conferir o que ela tinha estudado para a prova de hoje. Ela me mostrou o questionariozinho de múltipla escolha, queria que eu fizesse as perguntas oralmente. Eu pedi o livro, que ela não tinha usado. Peguei os exercícios chamados “Desafios”, que exigem raciocínio e capacidade de relacionar a matéria com capítulos estudados anteriormente. A professora não passou nenhum desafio. Eu a chamei para fazer e a reação foi violenta. Ela não precisa daquilo pra tirar nota boa. Ela não gosta de ciências, ela só quer tirar nota pra passar.

Mudei pra História, que eu saiba ela gosta de história. “Gostava”, ela disparou na minha cara. “Gostava de antiguidade, não gosto de idade média, o último capítulo do livro se chama Adeus Idade Média e a professora disse que adeus significa que esse assunto não vai mais voltar nunca mais”.

Eu tive que dar um passeio no tempo e no espaço, levá-la de volta ao início das ciências na sua tão querida Grécia Antiga (Santo Percy Jackson) para mostrar que está tudo interligado, tanto os capítulos da mesma apostila quanto as disciplinas de apostilas diferentes. Disse que Educação Básica significa aprender o que é necessário para que ela viva da melhor forma possível em seu planeta, em sua comunidade e no seu próprio corpo.

Ela tem escola particular, ela tem uniforme, ela tem material apostilado com a divisão em módulos que, dizem, permite que o professor faça um planejamento melhor, tem livros, tem internet, tem revista, tem pais interessados e participativos e que discutem com ela o que aparece no livro, no jornal, na tevê e na revista, tem o gosto pela leitura (maldito Percy Jackson).

O problema não é particular dela. Sou “amiga” dos amiguinhos dela no facebook e eles escrevem de tudo sem a menor preocupação de quem está lendo, e todos eles erguem uma muralha que os separa de qualquer interesse na atividade escolar. Independente da escola ser paga ou pública, independente de ser pré-adolescente ou teen, independente da mãe estar no calcanhar deles na internet ou não. 

Chega de ler professor reclamando dos pais que não acompanham a vida escolar dos filhos que deixam as crianças largadas no mundo e blablabla. Os que acompanham também estão com problemas, então eu gostaria de ler as opiniões de quem convive com muito mais crianças do que eu. Por que essa muralha é construída e como derrubá-la?

Enviado poremail

Anúncios