Educação na finlândia

Vendo o Destino Educação finlândia, descobri que:

O magistério não paga salários altos;
alguns alunos escutam música no celular em aula;
há professores de apoio para alunos com problemas de aprendizagem ou comportamentais;
4% dos pais perturbam os professores, pedindo mais qualidade no ensino (os demais dão-se por satisfeitos);
professores sentem-se desgastados e pressionados por cortes no orçamento;
a finlândia como país independente existe há 100 anos.

Entretanto,
Praticamente todo o sistema é público;
o finlandês tem respeito pela educação;
o magistério não dá muito dinheiro mas dá status.

No últimos exames PISA, a finlândia ficou entre os três primeiros colocados, e o brasil entre os 12 últimos, entre 65 países.

Os brasileiros estão acordando para a questão da educação. O problema é que a professora finlandesa disse que não se pode fazer nada com pressa. Mas uma mãe finlandesa (dos 4%) disse que eles são procurados para explicar seu sistema mas eles deviam estudar os sistemas estrangeiros para aprender soluções diferentes. Para mim é muito claro que não há mais tempo para paciência. Temos que criar a nossa solução.

Enviado poremail

Anúncios