A culpa da mãe

Não sentia culpa em deixar neném chorando (desde que não fosse por fralda suja ou fome…), não sentia culpa por deixar criança se espernear e se jogar no chão, não sentia culpa de negar comida fora de hora se a criança recusasse as refeições, não senti culpa de mandar pra pré-escola antes dos 3 anos, não senti culpa de voltar a trabalhar, não senti culpa em admitir que detesto brincar de corre-corre, pula-pula e gritarias dentro de casa.

Eu sinto culpa em mandar estudar, e estudar mais, e enfiar a cara nos livros. E os trabalhos de casa e os resumos estão se acumulando, e os recadinhos das professoras chegam todos os dias e eu sinto culpa achando que cobro demais e ela está reagindo com essa negligência deliberada, aí eu penso que é ridículo me culpar por estar exigindo dedicação aos estudos. Eu não fico só no sermão, eu ajudo, eu oriento, eu chego ao cúmulo de fazer resumos, mesmo sabendo que quem devia fazer é ela, mas penso que se eu não fizer, ela não vai. E com o tempo ganho por estar liberada de fazer resumo ela poderia fazer os trabalhos de casa, mas não faz.

É a sina da mãe, tem que se culpar, alguma coisa ela deve estar fazendo de muito errado e que vai traumatizar a filha pro resto da vida.

Eu tenho que arranjar um jeito de diminuir a pressão psicológica, sem diminuir a carga de estudos. Coisa mais idiota, sentir culpa porque está mandando a filha estudar.

Só sei de uma coisa: se ela tivesse pasado pro pedro II, estaria MUITO fudida hoje.

Tá, confesso: minhas decepções falam bem alto ao meu ouvido enquanto eu dou sermão aos gritos. Tive tudo pra fazer faculdade e ter uma profissão legal, um emprego legal e…. não. É errado querer sorte melhor pra ela?

Culpada, culpada, culpada. Perlo menos não sinto mais a culpa de não sentir culpa nenhuma, o que gerava a desconfiança de que não era boa mãe O.o

Enviado poremail

Anúncios