Sem acordo

Não foi dessa vez. Estive hoje no Tribunal de Justiça para a audiência de conciliação. Uma financeira um belo dia depositou um dinheiro na minha conta e tentou descontar as parcelas do empréstimo do meu contracheque. Eu descobri a tempo e consegui bloquear o desconto. Tive que fazer um pequeno escândalo e o povo me zoa até hoje. No mês seguinte sumiu dinheiro da minha conta. Era o tal empréstimo, que de consignado virou débito em conta. Outro escândalo e o banco bloqueou novos descontos, mas o primeiro foi embora.
 

Fui ao Tribunal toda contente, achando que hoje eu ía trocar de smartfone \o/ Que nada. A financeira não quis fazer acordo. Eu nem quero as calças deles (pelo tamanho da advogada, ficariam largas), faço acordo. Quero o dinheiro que eu não pedi. Eles recusaram o acordo. Apresentaram um bolo de papel com sua defesa. O juiz pediu para ver o contrato. Em todos os meus escândalos eu havia pedido o mesmo. Finalmente o contrato apareceu. Endereço errado, sem informações da agência e do funcionário responsável e o mais legal: sem minha assinatura 🙂

Tive que me controlar pra não rir enquanto o juiz dava um mega esporro na advogada. Pra me manter séria, pensava no aborrecimento de ter que esperar mais 15 dias até receber minha indenização por danos morais e materiais.

Eu queria ler a defesa da financeira. Meu advogado disse que, sem minha assinatura, não há nada ali que me interesse. Só que eu sou curiosa, quero saber o que tanto eles escreveram pra defender o indefensável. A única coisa que consegui ler foi a frase "a autora é uma pessoa intelectualmente mediana". A autora acha que foi chamada de ignorante. Se a média intelectual do brasileiro fosse pelo menos respeitável eu não me importaria em ser chamada de mediana, afinal não é segredo (muito menos motivo de orgulho) que eu não fui à faculdade. Ainda. Eu digo sempre a Filhote que vamos juntas!
 
Eu tô pedindo pouco, mas pelo mega esporro do Juiz ele bem que podia me dar o dinheiro para a faculdade…

Daqui a quinze dias eu conto o fim da novela.

Publicado via email

Anúncios

2 comentários sobre “Sem acordo

  1. “Só que eu sou curiosa, quero saber o que tanto eles escreveram pra defender o indefensável.”

    Ora, ora… escreveram nada. Ctrl C e Ctrl V com algumas palavras pomposas como “inteligência mediana” ligando uma cola à outra, e só.

    A financeira devia ter contratado um mágico ou ilusionista ou mágico-ilusionista (tanto faz) para fazer um truque. Podia até não colar, mas seria divertido… rsrs!

    Boa sorte.

Os comentários estão desativados.