Julieta Venegas – Rio de Janeiro – 18/12/2008

O ônibus

Dizem que carioca tem prazer sádico de falar mal de sua cidade. Deve ser porque não se deve falar do que não tá certo, só é permitido exaltar a cidade maravilhosa. O que dizer de um motorista trafega por pontos turísticos da Zona Sul e que se recusa a dizer se o ônibus passa em frente ao Canecão? Não foi a primeira vez, nas férias o motorista disse que não sabia onde era o Planetário, ao que uma senhora se levantou e nos avisou “é no próximo ponto!”, o ônibus virou a esquina e parou em frente ao Planetário que o motorista desconhecia.O de ontem perguntou “Canecão???????”, e na saída do túnel Santa Bárbara não dá pra não ver o Canecão e o Rio Sul.

A Padaria

Tenho que inventar alguma coisa pra fazer no Rio Sul só pra voltar àquela padaria. Chegamos quase às nove da noite e queríamos comer alguma coisa rápido. Porcaria da rua não servia. Entramos no shopping e logo na entrada está a padaria sensacional. O pão de queijo era do tamanho de um panetone 😀

Momento TV Fama

Marcelo quer saber se o vocalista do Bacilos saiu com a Paulina Rubio e por isso Julieta largou dele e dedicou-lhe as melhores músicas de dor de corno do pop rock latino. Pior foram os comentários sobre a (falta de) cintura de Juli. Gente, essas coisas não se comenta, a gente finge que não viu!

Canequinha

Pô, o Canecão é menor do que eu imaginava! Dava pra comprar as poltronas lá atrás, mais baratas. Mas ficar de cara para o palco também é bom! Frisas laterais, jamás, não há fisioterapia que dê jeito no pescoço torcido de quem assiste o show de lá. E o telão é caidinho.

Quem tava lá?

No setor A, dos very importante pobres: Lenine, Otto e a podcaster Aline Rodrigues O.o

Show!

A primeira música foi Limón y Sal. Depois, Juli pegou um violão maior que ela e tocou Algo está Cambiando. O ritmo aumentou com Tiempo Suficiente. Depois Juli saudou o público num portunhol encantador.

Na seqüência, Ilusión, toda em espanhol, para de decepção de parte do público. Engraçado foi o susto que eles levaram quando os altos agudos de Marisa Monte no síiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii foram substituídos pela desafinada voz grave de Juli 😀

Juli sentou-se ao piano para levar a lentinha Lento e Mírame Bien.

Quem assiste aos shows de artistas latinos já conhece a figura: a mexicana que passa o tempo todo gritando “viva Méxicooooo” “arriba Tijuanaaaaaa” e “viva México cabróooooon” Sim, eles estavam lá, os mexicanos, e foram ao delírio com Amores Perros. A platéia brasileira foi ao delírio quando Jacques morelembaun fez o solo de guitarra no violoncelo!

Juli se acaba de dançar em Mira La vida. Eres Para mi ganha um novo rap na introdução, saudando o povo carioca e a platéia canta o finalzinho da música “tu eres para mi, yo soy para ti”. Aqui, felicidade total, porque Juli percebeu a meia dúzia de gatos pingados (eu, Marcelo e outros 10, que matemática não é meu forte) que cantavam a parte da Mala “desde el dia em que te vi desde el día em que te vi yo sabía que tu era Pa mi era pa mi’

Acabo de perceber que o corretor ortográfico do Word está mudando palavras em espanhol para português. ¡Cabrón!

Uma música que eu não conheço bem (céus!), acho que é do disco Sí. Depois veio Como sé. E pausa para Juli beber um pouco de água.

A platéia do setor A se mostrou receptiva, boa parte conhecia as músicas. Dividi a mesa com uma pessoa que era fã e cantava todas as músicas e outra que estava calada, mas prestando atenção o tempo todo. Na mesa ao lado o interesse acabou depois de ilusión e as madames resolveram bater papo. Não sei o que elas esperavam de Juli, pois se diziam supresas. A frase da noite: “eu acho que ela faz rock” uhahuehuaheuhauehauehuaheh, é por aí… Só que depois da pausa pra hidratar veio um tango! Quando saiu o acústico MTV eu reclamei porque não tinha De Que Me Sirve, mas Juli guardou a música para os shows. A platéia adorou!

Palmas ao ritmo de Algun Dia. Juli apresenta a banda, metade formada por músicos brasileiros convidados, e emenda Canciones de Amor

De mis pasos só não foi perfeita porque a platéia não era mexicana e não empurrou as mesas para um canto pra pular feito doidos!

Julieta apresenta mais músicas e pede palmas ritmadas para Primer Dia. “necessito ajuda para percussão, estoy com os brasileros, os mejores para eso!” Na seqüência, El Presente. Aí sim o público cantou em coro, Juli até deixou o fim da música para a platéia cantar sozinha.

Mais uma que eu não conheço, acho que é Sin Documentos. Juli dá mais um show de dança, só que dessa vez não são os pulos do rock, é o requebrado del puro son mejicano!

Fim do show? Me voy foi cantada em coro pelo público, de pé. Juli se despede, manda beijos e deixa o palco. Algumas pessoas levantam e vão para a frente do palco A gente grita “volta! Volta! Mais um! Mais um!” O que houve com o “por quê parou? Parou por quê?” caiu em desuso? 😀

Eu não fui lá pra frente porque eu achava que tinha que ir nas porradas como De Mis Pasos pra cantar e pular. Juli voltou, sentou ao piano e tocou a lentinha (e belíssima) Esta Vez, enquanto o pessoal lá da frente – todos – estava lá pra filmar e fotografar. Todo mundo de braços erguidos e maquininha na mão. Preferi ficar na mesa me esgoelando em Esta Vez e depois deu até pra levantar no Grand Finale, que também foi cantado em coro: Andar Conmigo!

Media Center

Curta o canal Mondo de Aline com áudios e vídeos do show. Tem um monte de coisa dentro desse playerzinho:

[splashcast c NYQS5685BC]

Anúncios

6 comentários sobre “Julieta Venegas – Rio de Janeiro – 18/12/2008

  1. Obrigada por postar com tantos detalhes, adorei!
    É ótimo ver que o público tem interesse na música mexicana e ao mesmo tempo essa integração entre artistas do Brasil e do México.

    Morri de rir com as madames que resolveram conversar. Ou elas têm dinheiro sobrando ou ganharam os ingressos e foram só por curiosidade. Um show desses é para não perder.

    Até eu que não moro no Rio sei onde fica o Canecão!

    E qual é a resposta? Ele saiu ou não com a Paulina Rubio?
    Li comentários sobre a barriga, essas blusinhas da moda deixam até as mais magrinhas com aparência de grávidas, um perigo!

  2. bah…
    q te puedo decir nena? que me muero de envidia de vos!!!
    sem brincadeiras, mas eu adoro a Julieta. Aqui no sul ela é pouco conhecida, na verdade so ficou conhecida depois de ter passado o clip de ilusion no serginho groissmann… antes disso qdo eu falava: Bah, to escutando julieta venegas é tri bom, sempre me respondiam com um “quem? ha?”
    pena q esses shows menos milionários nao descem do eixo rio-sp e nos pobres gauchos admiradores nao temos a oportunidade de ver ela de perto!
    mas quem sabe, com esse sucesso instantaneo e crescente de ilusion e da musica dela com o bajofondo, nao temos mais uma visitinha ao brasil?
    ai podia ter porto alegre no roteiro ne?
    abrazos!

  3. Puxa, Gustavo, eu achava que a galera do Rio Grande do Sul ouvisse mais artistas hispanos. É verdade que estrelas internacionais ão saem do eixo das grandes capitais, mas as estrelas internacionais latinas sempre aparecem em Buenos Aires, BA é logo aí!

Os comentários estão desativados.