Eleição no meu bairro

Onde é meu bairro mesmo?

Hoje foi dia se subir a Capitão Teixeira inteira a pé e xingar o cara do TRE que me botou pra votar tão longe de casa… Se bem que Realengo não é mais minha casa. “Lá em casa” o exército está na rua. Quando cheguei a Realengo e não vi os soldados fiquei feliz. Tá “menos ruim” do que eu pensava. A semana toda vi na tevê notícias que me deixaram envergonhada. Milícia pedindo a eleitor pra fotografar o voto e Ana Maria Braga ensinando a burlar essa exigência. TRE dizendo que crianças seriam usadas como espiãs. A que ponto nós chegamos. No nosso cantinho não tinha soldado, então cheguei na mamãe fingindo indignação:

– Por que é que lá onde eu moro tem exército na rua e aqui não? Aqui é área de risco também! O exército teve medo de entrar aqui?

Acho que a moral da história é que o buraco onde nasci vai comigo aonde quer que eu vá. A tropa na rua em Senador Camará por causa do tráfico me deixa tristemente resignada. A decadência em Realengo me dói.

Anúncios