Fim de semana

Enfim um dia maravilhoso em família: Eu, Marcelo e Carolina passamos a manã de sábado na praia da Barra. O sol brilhou, o vento fraco refrescou, a água congelou. Dessa vez nós não planejamos nada – cheguei do trabalho na sexta-feira e perguntei “Vamo pra praia amanhã?” Corremos para comprar peito de peru para os sanduíches, uma bolsa térmica e o resto já estava arrumado desde o feriadão da República. O segredo é não planejar nada.

Chegamos na praia às oito da manhã. Por mim, chegaríamos às sete, mas a Barra é longe pra caramba… Areia branquinha, muito espaço, silêncio total. No primeiro mergulho a água estava tão gelada que congelou meu cérebro e eu esuqeci que não gosto de água fria. Marcelo e Carolina reclamaram. Logo eles entraram no mar e eu fui me esparramar na areia, torrando e ouvindo música. O mar estava revolto, Carolina levou uma onda na cara (quatro, ela contesta, aborrecida), bebeu água e sentou ao meu lado. Meia hora depois, tive que arrasá-la de volta para a água. “Eu quero sair daquiiiiiiiiiiiiiiiiiiii”.

Poucos minutos depois, Carolina e um bando de crianças estavam pulando dentro d’água animadamente. Criança é uma coisa hilária.

Saímos meio-dia e andamos por aí (por ali) para encontrar um restaurante… E encontramos! Comidinha caseira gostosa e barata.

No domingo levei Carolina para andar de bicicleta. As calçadas da praça esavam tomadas por carros, então ela fez sua estréia na rua. Andou bem, fez curva de (quase) 180º e levou seu primeiro tombo. Caiu, levanta. Só deu mais uma volta depois da queda e voltou para casa, um pouco amuada. Nada que a menção ao poder curativo da salsicha congelada não resolva.

(Parêntesis da salsicha: Aos quatro anos ela bateu com o queixo na mesa e não parava de chorar. Não nos deixava nem chegar perto pra ver o machucado. Marcelo foi pegar gelo. Não tinha gelo. Eu disse pra ele pegar um bife, e também não tinha. Eu disse “então pega a salsicha congelada”. Na mesma hora Carolina parou de chorar e caiu na gargalhada. Desde então nós usamos o poder curativo – de alma e/ou ego feridos – da salsicha congelada).

Deu tudo certo, passamos um fim de semana gostoso. É raro, sabe? Mas por ser tão raro, é tão bom.

Anúncios