Veja a gravidade da situação!

O indivíduo está no Centro da cidade, na primeira sexta-feira útil do ano. É o deadline. Na última semana de um ano e na primeira do ano subseqüente, o carioca sai desesperado para resolver as pendências. Depois vem o dia de São Sebastião, Carnaval, as olimpíadas, eleiçoes e por aí vai. Então, lá foi o rapaz à Rua Teófilo Otoni tentando resolver algo, quando não mais que de repente surge um carro à sua frente. Foi só um esbarrão, um baita susto. Que virou indignação quando se deu conta de que o carro estava na contramão, e que virou cólera quando viu que o carro era oficial, da Prefeitura. Dedo em riste, partou para cima do motorista, que pedia mil desculpas pelo esbarrão. Sobre a infração, o motorista alegou que não havia placa indicando a contramão. Aí o pobre rapaz vai à loucura, ora bolas, afinal de contas de quem é a responsabilidade de botar a bendita plaquinha? O motorista segue até o quarteirão seguinte e vira o carro, bem a tempo de não ser flagrado pelos coleguinhas da Guarda Municipal que entraram naquele momento na rua.

– Eles vieram atrás de você, seu Juberto. O rapaz é atropelado por uma viatura da Prefeitura, na contramão, numa rua sem sinalização. Você percebe a gravidade da situação?

Ele ri. Ele não faz por mal, é um doce de pessoa. Ele deve ser o pior motorista do Município. Risco não há, pois dirige beeeem devagar. Eu gosto de sair com ele, desde que não tenha que pegar a Av. Brasil. Ali ele é obrigado a andar rápido, e os engenheiros e arquitetos que saíram com ele estão traumatizados.

P.S – Nós já recebemos, não foi por isso que saímos por aí atropelando contribuintes!

Anúncios